quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Ethos - Teses do Reino Unido



Iniciativa da British Library, a Ethos - Eletronic Theses Online Service foi criada em 2009 e atualmente disponibiliza mais de 300.000 teses de livre acesso, com texto completo produzidas no Reino Unido. O repositório contempla ampla gama de assuntos, os visitantes precisam se registrar gratuitamente para ter acesso aos textos.


http://ethos.bl.uk


Lista das 122 instituições de ensino superior participantes

University of Aberdeen
University of Abertay Dundee
Aberystwyth University
Anglia Ruskin University
University of the Arts London
Aston University
Bangor University
University of Bath
Bath Spa University
University of Bedfordshire
Birkbeck (University of London)
University of Birmingham
Birmingham City University
University of Bolton
Bournemouth University
University of Bradford
University of Brighton
University of Bristol
Brunel University
University of Buckingham
Bucks New University
University of Cambridge
Cardiff University
Cardiff Metropolitan University
University of Central Lancashire
Central School of Speech and Drama
University of Chester
University of Chichester
City University
University College London (University of London)
Coventry University
Cranfield University
De Montfort University
University of Derby
University of Dundee
Durham University
University of East Anglia
University of East London
University of Edinburgh
Edinburgh Napier University
University of Essex
University of Exeter
University of Glamorgan
University of Glasgow
Glasgow Caledonian University
University of Gloucestershire
Glyndwr University
Goldsmiths College (University of London)
University of Greenwich
Heriot-Watt University
University of Hertfordshire
University of Huddersfield
University of Hull
Imperial College London (University of London)
Institute of Cancer Research (University Of London)
Institute of Education (University of London)
Keele University
University of Kent
King's College London (University of London)
Kingston University
Lancaster University
University of Leeds
Leeds Metropolitan University
University of Leicester
University of Liverpool
Liverpool Hope University
Liverpool John Moores University
University of London
London Business School (University of London)
London Metropolitan University
London School of Economics and Political Science (University of London)
London School of Hygiene and Tropical Medicine (University of London)
London South Bank University
Loughborough University
University of Manchester
Manchester Metropolitan University
Middlesex University
University of Newcastle Upon Tyne
University of Northampton
Northumbria University
University of Nottingham
Nottingham Trent University
Open University
Oxford University
Oxford Brookes University
Oxford Centre for Mission Studies
University of Plymouth
University of Portsmouth
Queen's University Belfast
Queen Margaret University
Queen Mary, University of London
University of Reading
Robert Gordon University
Roehampton University
Royal College of Art
Royal Holloway, University of London
Royal Veterinary College (University of London)
University of Salford
School of Oriental and African Studies (University of London)
School of Pharmacy (University of London)
University of Sheffield
Sheffield Hallam University
University of Southampton
Southampton Solent University
Staffordshire University
University of St Andrews
University of Stirling
University of Strathclyde
University of Sunderland
University of Surrey
University of Sussex
Swansea University
University of Teesside
University of Ulster
University of Warwick
University of the West of England, Bristol
University of West London
University of Westminster
University of the West of Scotland
University of Winchester
University of Wolverhampton
University of York

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos



Registro Brasileiro de Ensaios Clínicos (ReBEC) é uma plataforma virtual de acesso livre para registro de estudos experimentais e não-experimentais realizados em seres humanos, em andamento ou finalizados, por pesquisadores brasileiros e estrangeiros. O ReBEC é um Projeto conjunto do Ministério da Saúde (DECIT/MS), da Organização Panamericana de Saúde (OPAS) e da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ). O Comitê Executivo do RebEC é composto pelas instituições supracitadas e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

Até o momento existem 183 ensaios registrados e 63 ensaios recrutando.

Fonte: Pesquisa Mundi

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Wall Street Journal lança site com reportagens gravadas com celular



WSJ estreia matérias gravadas com celular

O The Wall Street Journal lançou um novo site com vídeos em streaming. "WorldStream" reúne pequenas matérias filmadas com smartphones por jornalistas da Dow Jones & Company, editora financeira internacional dos EUA.

Cada vídeo é postado poucos minutos depois de ser enviado para o editor, o que faz do site uma espécie de "live feed" de notícias sobre o mercado financeiro.

"Nossas visualizações quase que duplicaram nos últimos seis meses, subindo para mais de 20 milhões de streams, e a criação deste videoblog é mais uma conquista na expansão dos vídeos do Journal," afirmou Alan Murray, editor executivo do WSJ.com. 

Redação Adnews

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Portal de Periódicos da Capes


Agora a ULBRA tem acesso ao Portal de Periódicos CAPES. Através dos computadores da ULBRA o aluno pode acessar esta base de dados indispensável para uma boa formação acadêmica.

Qualquer duvida entrem em contato com o bibliotecário.




O Portal de Periódicos, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), é uma biblioteca virtual que reúne e disponibiliza a instituições de ensino e pesquisa no Brasil o melhor da produção científica internacional. Ele conta com um acervo de mais de 30 mil títulos com texto completo, 130 bases referenciais, dez bases dedicadas exclusivamente a patentes, além de livros, enciclopédias e obras de referência, normas técnicas, estatísticas e conteúdo audiovisual.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Mais de 75.000 títulos disponíveis para todos




Cerca de 75.000 dos títulos mais importantes da Biblioteca Nacional da Espanha (BNE) estão disponíveis para os leitores em todo o mundo de uma forma aberta e livre através do site www.bne.es .


No final de 2008 o BNE assinou um acordo com a Telefonica para a digitalização de 200.000 títulos, perfazendo um total de cerca de 25 milhões de páginas.


Desde então, a Biblioteca Digital Hispânica (BDH) consolidou-se como um recurso online que oferece acesso gratuito a milhares de documentos digitalizados.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Mais de 500 livros disponíveis para download gratuito



Publicado no Estadão
Mais de 500 obras literárias estão disponíveis para download gratuito no portal Universia Brasil. Entre elas, oito dos nove livros cobrados pelas bancas da Fuvest e da Unicamp no vestibular. O único que ainda não ganhou versão digital é Capitães da Areia, de Jorge Amado.
Ao todo foram publicados 521 arquivos em formato PDF, que pode ser lido em computadores, tablets e e-readers. As obras são dos mais variados estilos: há desde biografias de cineastas até textos científicos sobre comunicação, passando, claro, por grandes clássicos da literatura.
Segundo a gerente de conteúdo do portal, Alexsandra Müller, o objetivo da iniciativa é incentivar a leitura e democratizar o acesso ao conhecimento. “A gente acredita no poder de transformação da leitura, do ponto de vista pessoal e acadêmico”, afirma.
Alexsandra conta que os textos já estavam publicados na internet. O trabalho da equipe do site foi agregar o conteúdo em um único endereço eletrônico. “Esses livros foram pedidos por nossos leitores em enquetes e nas nossas redes sociais. Um internauta, por exemplo, queria muito ter acesso a textos de Gregório de Matos.”
Para se ter uma ideia, a demanda por obras gratuitas é tão grande que uma notícia sobre 120 obras acadêmicas disponíveis para download, publicada em setembro do ano passado, continua liderando o ranking das matérias mais lidas do portal.
Vestibular
Estão disponíveis para download os seguintes livros da Fuvest e da Unicamp:
- A Cidade e as Serras (Eça de Queirós)
- O Cortiço (Aluísio Azevedo)
- Memórias de um Sargento de Milícias (Manuel Antônio de Almeida)
- Memórias Póstumas de Brás Cubas (Machado de Assis)
- Sentimento do Mundo (Carlos Drummond de Andrade)
- Til (José de Alencar)
- Viagens na Minha Terra (Almeida Garrett)
- Vidas Secas (Graciliano Ramos)
As obras de Aluísio de Azevedo são destaque entre o material. São 17 livros do romancista, contista, cronista, diplomata, caricaturista e jornalista nascido no Maranhão. Além disso, pode ser feito o download de 27 livros de José de Alencar, 18 de Eça de Queirós, 13 de Fernando Pessoa, 8 de Lima Barreto.
Quem quiser treinar o inglês poderá baixar 15 livros do poeta inglês William Shakespeare.
O portal também oferece uma série com 20 livros sobre cinema nacional, como biografias de cineastas e roteiros de filmes de destaque.
Ainda há outras 30 obras sobre comunicação, entre as quais Jornalismo e Convergência: Ensino e Práticas Profissionais, de Cláudia Quadros, Kati Caetano e Álvaro Laranjeira, e Comunicação e Política, de João Carlos Correia.
Para acessar a lista completa e baixar os arquivos, basta acessar o site da  Universia  e salvar o material.

quarta-feira, 9 de maio de 2012

Conteúdo de aulas de universidades renomadas estão disponíveis na web

Harvard e Berkeley disponibilizam os vídeos das aulas gratuitamente.

Unicamp está colocando conteúdo da disciplinas de física e cálculo na web.




Até pouco tempo atrás, assistir aulas nas principais universidades do Brasil e do mundo sem sair de casa era um sonho, mas está virando realidade. Universidades renomadas como Harvard e Berkeley disponibilizam seu conteúdo na internet gratuitamente.


Com uma licença especial, o criador do site Veduca, Carlos Souza, montou um site que reúne aulas de algumas das mais famosas universidades americanas e já colocou legendas em português em quase cem delas.


“O idioma, de fato, é uma barreira inclusive para pessoas que entendem, que sabem inglês. Porque diferente de ver um filme, você assistir uma aula de anatomia de Berkeley, tem uma dificuldade, tem os termos técnicos”, explica Carlos.


O estudante Hatylas Azevedo costumava ler os artigos de grandes pesquisadores em medicina. Hoje, pode assistir às aulas deles. “Muitos deles são pessoas líderes nas áreas de formação deles. São grandes cabeças que estão nesses vídeos”.


Vários endereços já oferecem o acesso ao ensino de ponta no mundo. O diploma dessas grandes universidades é para poucos, e vai continuar sendo, mas esse processo na internet ajuda a democratizar o conhecimento. De certa forma, as paredes das cobiçadas salas de aula já não separam: abrigam. E, aos poucos, não será preciso tanto das legendas em português.


A Unicamp, uma das principais universidades do país, já está colocando o semestre inteiro de disciplinas de física e cálculo na rede. “Eu acho que o projeto certamente é importante para democratizar o conhecimento, mostrar o que é feito numa universidade pública, que é fundamental para o desenvolvimento do nosso país. Acho temos que ter a educação como ponto central na agenda do país”, fala o pró-reitor de graduação da Unicamp, Marcelo Knobel.


Assista ao vídeo da reportagem aqui.

Fábio Turci | Jornal da Globo 

Universidades disponibilizam vídeos dos seus cursos na internet


Instituições famosas como Harvard e Berkeley colocam vídeos gratuitos na web. Site brasileiro reúne e traduz conteúdo das universidades americanas.


Veja abaixo alguns endereços online de universidades que disponibilizam conteúdo gratuitamente:


Coursera - Cursos sobre Algoritmos, Teoria dos Jogos e Mitologia. As aulas são dadas por professores de Princeton, Stanford e das Universidades da Califórnia, de Michigan e da Pensilvânia.


Udacity - Oferece seis cursos na área tecnológica, introdução à inteligência artificial.


Youtube EDU - Conteúdo educacional dividido em categorias como universidade, ensino fundamental e médio, e aprendizado aara toda a vida.


Veduca - Site tem 70 aulas de professores de grandes universidades do mundo com legenda em português.


Unicamp - Aulas magistrais reúne videos de grandes professores.

terça-feira, 24 de abril de 2012

1,7 mil documentários para aprender de graça


Tem filme sobre Al Capone, sobre os fundadores do Google, história da matemática, Albert Einstein… Mais de 1700 documentários estão disponíveis e catalogados no site Cosmo Learning, que fornece recursos educacionais livres na web.


Se preferir, também é possível procurar por tema – há assuntos que vão de ayurveda e medicina alternativa à guerra do Vietnã, passando por matemática, física, biologia e história. É imperdível.


Os documentários vêm de fontes como BBC, Fox News e Bloomberg e podem ser vistos em streaming. Ainda há mais de 400 cursos online – tudo de graça.


Conheça: http://www.cosmolearning.com

Fonte: Tatiana de Mello Dias | O Estado de S. Paulo

quarta-feira, 11 de abril de 2012

1 milhão de livros para download legal



por Carlos Willian Leite| Revista Bula


Open Library é um dos projetos mais ambiciosos da internet: pretende catalogar e digitalizar todos os livros já publicados, em todas as línguas. Desenvolvido sem fins lucrativos pelo Internet Archive e pela Fundação Austin, o projeto consiste na disponibilização crescente de livros para catalogação histórica, download legal ou leitura on-line. Atualmente, dos 20 milhões de livros catalogados, mais de 1 milhão de títulos estão disponíveis para download ou leitura on-line nos formatos PDF, ePub, Plain text, DAISY, ePub, MOBI e DjVu. Embora a língua predominante seja a inglesa, podem ser encontrados livros em cerca de 50 idiomas. O acervo, que reúne obras dos maiores museus, universidades e instituições religiosas do mundo, disponibiliza preciosidades históricas dos séculos 10, 11, 12, 13, 14 15, 16, 17 e 18, entre elas, tesouros literários como “O Códice de Leningrado”, considerado o mais antigo e completo manuscrito do mundo, base do texto da “Bíblia” hebraica, escrito em pergaminho e datado de 1008; a primeira edição impressa da obra capital de Agostinho de Hipona, “A Cidade de Deus”; além de cópias das primeiras edições da obra integral de William Shakespeare. O projeto também disponibiliza aproximadamente 200 mil títulos, juridicamente protegidos, pertencentes a 350 bibliotecas de 80 países, para empréstimo. Para participar e pegar um livro emprestado, basta se cadastrar. Os livros ficam disponíveis por duas semanas. No caso de download ou leitura on-line, não há necessidade de cadastro. Para acessar: http://openlibrary.org/subjects/accessible_book

sexta-feira, 30 de março de 2012

Arquivos de Nelson Mandela na internet



Em projeto que tem o apoio da Google, foram colocados na internet arquivos sobre Nelson Mandela.


São milhares de cartas, fotografias e documentos relativos ao ex-presidente da África do Sul, colocados on line nesta terça-feira, 27, em um projeto que visa a aumentar o acesso aos arquivos que detalham sua longa caminhada para a liberdade.


archive.nelsonmandela.org 


Fonte: O Diário

quarta-feira, 28 de março de 2012

Morre escritor Millôr Fernandes aos 87 anos

O desenhista, jornalista, dramaturgo e escritor Millôr Fernandes (2006) / Ricardo Moraes/Folhapress
Publicado por UOL

Morreu na noite desta terça-feira (27), aos 87 anos, o escritor Millôr Fernandes. Desenhista, dramaturgo, poeta e jornalista, ele faleceu em sua casa, no Rio de Janeiro, em decorrência de falência de múltiplos órgãos. O velório será realizado até as 15h desta quinta-feira (29), no Rio, mas ainda não há detalhes sobre cerimônia de sepultamento ou cremação. As informações são do cemitério Memorial do Carmo.
Nascido no bairro do Méier, no Rio, em 16 de agosto de 1923, Millôr foi registrado oficialmente em 27 de maio de 1924. Com um ano, ficou órfão de pai e, aos 10 anos, de mãe. Ao longo da vida, se firmou como um dos mais importantes e atuantes intelectuais brasileiros. Adaptou e escreveu obras para teatro e para televisão, além de ter imortalizado diversos frases e aforismos.
Veja obras e trajetória de Millôr Fernandes
Em 1943, após ter passado pelo jornal “Diário da Noite” e pela revista “A Cigarra” – onde criou o pseudônimo Vão Gogo, com o qual assinou suas colunas até 1962 -, Millôr retornou à revista “O Cruzeiro”, onde criou, ao lado de Péricles, cartunista de “O Amigo da Onça”, a seção “O Pif-Paf”.
Autodidata, em 1942 realizou a sua primeira tradução – função que anos mais tarde lhe renderia o título de maior tradutor de Shakespeare no Brasil -, para “Dragon Seed”, romance da americana Pearl S. Buck, com o título “A Estirpe do Dragão”.
Já em 1946 fez sua estreia literária com o livro “Eva Sem Costela”. Sete anos depois, foi montada sua primeira peça de teatro, “Uma Mulher em Três Atos”.
Em 1964, aos 41 anos, editou a revista humorística “O Pif-Paf”, considerada uma das pioneiras da imprensa alternativa. Quatro anos depois, participou da fundação do jornal satírico “O Pasquim”, uma das vozes mais ativas contra a censura e o governo militar durante a ditadura nos anos 70. A publicação teve colaboração de Ruy Castro, Paulo Francis, Ivan Lessa, dos cartunistas Jaguar e Ziraldo, entre outros nomes importantes do jornalismo brasileiro.
Democracia é quando eu mando em você, ditadura é quando você manda em mim.
Millôr Fernandes
Autor de mais de 40 títulos literários, o cartunista atuou como colaborador de diversos jornais e publicações ao longo dos últimos 60 anos, entre eles “Folha de S. Paulo”, “Correio Braziliense”, “Jornal do Brasil”, “Isto É”, “O Estado de S. Paulo”, “O Dia” e “Veja”.
Além de Shakespeare, Millôr traduziu obras de Anton Tchekov, Bernard Shaw, Dario Fo, Luigi Pirandello, Molière, Mario Vargas Llosa, Samuel Beckett, R. W. Fassbinder e Tennessee Williams.
Como desenhista, com passagem pelo Liceu de Artes e Ofícios do Rio de Janeiro entre 1938 e 1943, expôs seus trabalhos no Museu de Arte Moderna (MAM) do Rio de Janeiro em duas ocasiões. Em 1981, seus trabalhos gráficos foram reunidos em “Desenhos” (ed. Raízes Artes Gráficas).
Como poeta, publicou “Papaverum Millôr” (ed. Prelo, 1967), “Hai-kais” (ed. Senzala, 1968) e “Poemas” (ed. L&PM, 1984).
Além de dramaturgo, atuou também como roteirista de cinema, séries e programas de TV, adaptando para a Rede Globo na década de 1990 a obra “Memórias de um Sargento de Milícias”, de Manuel Antônio de Almeida. No filme “Terra Estrangeira” (1995), de Walter Salles, colaborou com diálogos adicionais.
Em 2000, tornou-se um dos pioneiros a publicar na web ao lançar o “Millôr On Line” no UOL.
Entre seus últimos títulos, Millôr lançou em 2007 pela editora Desiderata “Novas Fábulas e Contos Fabulosos”, reunião de contos e fábulas ilustrados pelo cartunista Angeli. Em 2010, a atriz Fernanda Torres adaptou na série “Amoral da História” duas obras anteriores para o canal de televisão GNT — “Fábulas Fabulosas” e “A Bíblia do Caos”.

segunda-feira, 12 de março de 2012

Mapas antigos on-line

O Portal OldMapsOnline é fácil de usar e uma porta de entrada para mapas históricos em bibliotecas ao redor do mundo.

Ele permite ao usuário procurar on-line mapas históricos digitais nas numerosas coleções diferentes através de uma pesquisa geográfica. Pesquisar digitando um nome do lugar, clicando na janela do mapa, selecionando por data. Os resultados da pesquisa fornecem um link direto para a imagem do mapa no site da instituição onde o mesmo está armazenado.

Logo na entrada o portal já reconhece o IP do micro do usuário e apresentada mapas históricos relativos a sua região.

OldMapsOnline foi criado em colaboração entre The Great Britain Historical GIS Project da The University of Portsmouth e Klokan Technologies GmbH. 


quarta-feira, 7 de março de 2012

SciELO Books


Estreia de plataforma


A importante plataforma de periódicos científicos SciELO (Scientific Electronic Library Online) ganha, no final deste mês, uma versão brasileira só com livros em PDF. A SciELO Books vem sendo trabalhada há três anos pelas editoras Unesp, Fiocruz e UFBA e terá lançamento no dia 30, no Instituto de Artes da Unesp.

O catálogo inicial conterá cerca de 400 títulos gratuitos das três editoras, mas a proposta é ampliá-lo para outras editoras e outros países da América Latina. Para isso, o projeto terá uma demonstração durante a 25ª Feira Internacional do Livro de Bogotá, que acontece no fim de abril.

Fonte: Folha de S. Paulo | Raquel Cozer

Como citar um tuíte em um trabalho acadêmico?

A Associação de Linguagem Moderna dos EUA reconheceu que tweets podem figurar em trabalhos universitários e criou um formato para isso




Olhar Digital

Você está realizando um trabalho acadêmico e quer citar um tuíte. Isso é possível? E se for possível, como fazer? Segundo a Modern Language Association (Associação da Linguagem Moderna, em tradução livre), agora os estudantes podem, sim, utilizar esse tipo de fonte em seus textos.

Assim, ao ensinar como utilizar esse tipo de mensagens nos trabalhos, a Associação reconhece oficialmente os tuites como formas de opinião na literatura acadêmica, segundo o The Atlantic.

Mas, como citar tuítes? Basicamente, tudo é muito intuitivo. A citação tem início com o sobrenome, seguido do primeiro nome do autor. Após isso, vem o username entre parênteses. Depois, é a vez do tuíte em si, completo e entre aspas. Depois, a data e hora. Aqui, vale lembrar que a hora do tuíte reflete o horário de quem está lendo, não do próprio autor. Mesmo assim, é necessária a inclusão desse dado no trabalho. Ficaria como a imagem abaixo:
Pode-se notar que o link para o tuíte não precisa ser incluído, o que não é estranho, já que as mensagens podem não durar muito tempo no arquivo do microblog. Aqui, vale lembrar que, se o nome do autor é desconhecido, não há a necessidade de inclusão do nome real da pessoa.

sexta-feira, 2 de março de 2012

Página da Cidadania

O acesso à informação é fundamental para o exercício pleno da democracia. Por isso, o Instituto Millenium criou a “Página da Cidadania”, que reúne sites com dados e serviços importantes para os cidadãos. Ali, você pode acompanhar a aprovação de projetos de leis, os orçamentos governamentais, a arrecadação e aplicação dos impostos e muitos outros temas relacionados à administração pública. Acompanhar e fiscalizar as instituições públicas inibe distorções do sistema democrático, como a corrupção.


A divulgação de dados do governo é feita por vários sites, como o da Controladoria Geral da União (CGU) e do Banco Central.


Outros sites, como o do Observatório da Corrupção e o Siga Brasil, são instrumentos da sociedade civil para o monitoramento das instituições públicas. Neles, o cidadão pode se informar e também participar, validando ou incluindo informações.


Aí estão também sites nos quais os cidadãos podem protestar ou reclamar seus direitos, como o Movimento Hora de Agir e o Reclame Aqui.


Para que mais pessoas tenham acesso a esses instrumentos para o exercício da cidadania, compartilhe esta página. Queremos sua participação. Se você conhece outros sites similares a estes, envie-nos sua sugestão. 


Conheça, acompanhe, compartilhe, informe-se: exercite a cidadania.

Fonte: Instituto Millenium

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Pesquisa histórica na rede



Um manancial de fontes e estudos sobre pesquisas recentes em história no país. Isso é que se encontra nos anais eletrônicos do XXVI Simpósio Nacional da Anpuh (Associação Nacional de História), publicados recentemente na internet. O evento foi realizado no ano passado na Universidade de são Paulo e reuniu especialistas dos mais variados períodos períodos e temas. Todas as conferências e apresentações estão disponíveis agora na rede, na forma de arquivos consultáveis em formato PDF.


Os simpósios nacionais da Anpuh tornaram-se um referência do que há de mais recente nas descobertas e investigações históricas no Brasil. A entidade nascem em 1961, chamando-se Associação Nacional dos Professores Universitários de História. Ao longo dos anos, passou a agregar professores de ensino médio e fundamental, além de profissionais que atuam em arquivos e instituições de patrimônio e memória do páis. Desde 1993 chama-se Associação Nacional de História. Mas a sigla Anpuh foi mantida.


http://www.snh2011.anpuh.org/site/anaiscomplementares


Fonte: Graziella Beting - História Viva (Transcrição da edição n.100)

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Rede social para cientistas tem mais de 1 milhão de usuários


Plataforma na internet criada para facilitar a troca de experiências entre pesquisadores tem cerca de 35 mil brasileiros

Agência FAPESP – Mais de 1,3 milhão de pesquisadores de diversos países – 35 mil só do Brasil – já se inscreveram na plataforma ResearchGate, uma espécie de Facebook dos cientistas. A proposta da rede social é facilitar a comunicação e a troca de experiências entre pessoas que atuam na mesma área de investigação.

Como outras redes, o ResearchGate conta com diversos grupos de discussão, nos quais os membros podem fazer e responder perguntas. Mas, diferentemente de outros sites do gênero, os perfis dos participantes são estruturados como se fossem um currículo científico, o que facilita a busca de usuários por área de atuação.

Além disso, os pesquisadores podem incluir um índice com suas publicações e um blog pessoal. Um calendário informa os participantes sobre eventos científicos em todo o mundo e uma bolsa de empregos oferece mais de 13 mil vagas nas diversas áreas da ciência.

A plataforma é gratuita e foi criada em 2008 pelo médico alemão Ijad Madisch, graduado em Hannover e pós-graduado em Harvard. Ele conta que teve a ideia quando fazia a pós nos Estados Unidos e deparou com um problema para o qual não achava resposta.

Madisch conheceu um colega que pesquisava o mesmo assunto e tentou manter contato com ele pela internet, mas sentiu que faltava uma ferramenta adequada para isso.

“Grande parte dos recursos gastos em uma pesquisa acaba cobrindo experiências malsucedidas, que não ganham espaço nas publicações”, disse.

Com o ResearchGate, segundo Madisch, os cientistas podem receber informações sobre os trabalhos de colegas do mundo inteiro, inclusive sobre as experiências que não deram certo. Isso evitaria repetir o que já se mostrou falho.

De acordo com os administradores do site, 30 brasileiros, em média, se registram diariamente.

Mais informações: www.researchgate.net